Sobre a Classificação de Modelos de Origami

Outro dia, na lista de discussão Origami Kawakami surgiu uma dúvida levantada pelo Marcelo Kono: Como classificar um modelo de origami em relação a sua dificuldade? Existe alguma regra para essa classificação?

A resposta mais óbvia para essa segunda pergunta é falar que não. Afinal de contas, cada pessoa tem a sua percepção e experiência no universo do origami. Portanto, cada um tem a sua medida de dificuldade.

Para exemplificar isso, procurei por alguns livros que fazem esse tipo de classificação. Entretanto, faço uma divisão bem diferente e que pode nos ajudar a ensinar o origami.

The Encyclopedia of Origami – Nick Robinson

Encyclopedia of Origami

Na versão em português deste livro, a classificação é dividida em Projetos para Principiantes, Projetos Intermedios e Projetos Aliciantes. O que percebi foi que ela é dada principalmente pela quantidade de passos que cada modelo possui. Sendo que o modelo com maior número de passos – 23 – é a flor criada pela Ligia Montoya.

Teach Yourself Origami – John Montroll

Teach Yourself Origami

Neste livro os níveis de dificuldade são Principiante, Intermediário e Avançado. A classificação é quase a mesma que a do livro anterior, sendo dada quase que pela quantidade de dobras que um modelo possui. Entretanto, pode-se notar aqui que as figuras em geral são bem mais difíceis que os do livro anterior. Os modelos intermediários tem entre 30 e 40 passos e o modelo no nível avançado com mais passos é o Elefante que possui 56.

Genuine Origami – Jun Maekawa

Genuine Origami

Pela capa deste livro já dá para perceber que vamos encontrar os origamis mais difíceis. A classificação por modelos é Fundamental, Simples, Intermediário e Complexo. Mas não se engane com esses nomes. No nível fundamental já temos figuras com mais de 25 passos! E o capacete de samurai vermelho-dourado que aparece na capa é um modelo classificado como simples possuindo 27 passos. O modelo com maior número de passos é o Devil – que também está na capa – com 144.

Então Não Tem Regra Mesmo

Como vocês puderam perceber, mesmo levando em consideração a quantidade de passos como uma tentativa de classificar a dificuldade de um modelo de origami, cada um tem um jeito diferente de considerar o que é básico, intermediário e avançado. Então, como fazer?

Para Ensinar Origami

Eu creio que esse tipo de classificação só é importante se você estiver ensinando as dobras para alguém. Vide os livros que encontrei com essa classificação. Todos eles continham informações técnicas adicionais e nenhum deles era apenas uma coletânea de diagramas. E visivelmente, o Genuine Origami é para origamistas mais experientes, pois não possui nenhuma informação básica – como símbolos, dobra vale e montanha, bases, etc – como é comum em quase todo livro de origami publicado.

No meu caso, visando facilitar o ensino do origami, classifico de forma diferente. Ignoro a quantidade de passos e olho mais para o tipo de dobra e técnica que estão no modelo.

Básico – são modelos que possuem apenas dobras simples, ou seja, dobras que não possuam nenhum nome especial. Sabendo apenas o que é dobra vale e montanha deve ser possível dobrá-los. O copo e o Capacete de Samurai são bons exemplos.

Avançado – Aqui cabem os modelos que necessitam de um cuidado maior na finalização. São modelos que não basta saber dobrar, mas que precisam de cuidados na escolha do papel e/ou na escolha de uma técnica especial como o wet folding, crumpling, etc…

Intermediário – Esse é simples. Se o modelo for mais difícil que o nível básico, mas ainda não precisa de nenhuma técnica ou papel especial, então é de nível intermediário.

Repare que nessa classificação, o tsuru tradicional é um modelo intermediário pois é preciso saber a dobra de inversão e a dobra da pétala. Não ficou fácil?

Comente Aqui

  • Facebook
  • Google Plus
  • WordPress
3 Comentários
  1. maria jose dos santos barbosa
    24 fevereiro 2011 | Responder
  2. 24 fevereiro 2011 | Responder
  3. Lígia
    24 fevereiro 2011 | Responder

Escreva um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia o post anterior:
Glifos Série Fringe
Origami no Seriado Fringe

Você já assistiu o seriado Fringe? Para quem gosta de ficção científica, é um prato cheio. Eu diria até que...

Fechar