Quando os Origamis Ganham Vida

Os origamis tradicionais tem a elegância da simplicidade com que parecem ser feitos. Mas os origamis de que mais gosto são aqueles que, além de fazer o nosso juízo duvidar que seja um origami, aparentam ganhar vida.

Um dos origamistas que sempre consegue surpreender é o Satoshi Kamiya de quem tenho falado, mas seus diagramas são ultra-plus-difíceis de serem feitos. Seus origamis normalmente levam dias para serem terminados, o que inviabiliza um pouco (pelo menos para mim) a repetição da obra com o objetivo de obter um resultado sempre melhor.

Por outro lado, existem origamistas como Román Diáz que, com suas interpretações da natureza e origamis que apresentam uma personalidade marcante, nos fazem querer dobrar mais e mais seus diagramas (depois que eu dobrei o gato, a minha mesa vive cheia deles…).

E ainda, origamistas como o Nicolas Terry que, com seus Crease Patterns (CP), consegue nos dar desafios com resultados rápidos o suficiente para não desistirmos do mistério que é dobrar um CP. E um destes mistérios vivos que gostaria de mostrar aqui é o rinoceronte.

Rinoceronte de Nicolas Terry

Se estes rinocerontes não aparentam ter vida, então, não sei o que mais aparentará… Seu Crease Pattern pode ser obtido neste link que pertence ao site do Nicolas Terry.


Technorati : , , ,

Comente Aqui

  • Facebook
  • Google Plus
  • WordPress

Escreva um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia o post anterior:
Glifos Série Fringe
Origami no Seriado Fringe

Você já assistiu o seriado Fringe? Para quem gosta de ficção científica, é um prato cheio. Eu diria até que...

Fechar